Arquivo | esportes RSS for this section

Parabéns Zico!

Zico

Zico

Hoje escrevo uma postagem mais que especial para homenagear o maior jogador da história do meu Mengão. Neste 3 de março, Zico completa 60 anos de idade, de amor ao Flamengo.

Eu nunca tive a oportunidade de ver o meu maior ídolo jogar ao vivo em um estádio, nasci exatamente no ano em que ele se aposentou do futebol, onde deu o último adeus para a torcida mais querida do mundo.

Mas mesmo assim ele tem um papel importantíssimo na minha vida, desde que me entendo por gente o tenho como um exemplo de jogador de futebol e de ser humano. Lembro muito bem de uma fita cassete que papai comprou num jornal ou algo do tipo  na Casa e Video (acho que ela até está aqui em casa ainda) com “Os Mais Belos Gols de Zico”. Lembro de bem pequeno, eu devia ter uns 6 ou 7 anos quando saiu, ficar maravilhado com as jogadas do Galinho. Achei o vídeo no Youtube, assista abaixo.

Com o tempo, fui crescendo e aprendendo cada vez mais sobre tudo que ele fez pelo Flamengo, devorei livros, assisti os jogos, documentários, ouvi as histórias contadas pelo meu pai e fui me tornando cada vez mais um fã do Galinho de Quintino. Ele ganhou simplesmente tudo que disputou com o manto sagrado: 509 gols, 1 Mundial, 1 Libertadores, 4 Brasileiros, 7 Cariocas, 9 Taças Guanabara, 3 Taças Rio e vários outros títulos em 732 partidas. Isso sem falar que ele foi o maior artilheiro da história do Flamengo e do Maracanã.

A torcida arco-íris diria que ele era jogador de Maracanã, que nunca ganhou nada com a seleção brasileira, que é jogador de laboratório e outras presepadas de quem não tem torcida, mas respondo isso com uma frase célebre de Fernando Calazans:

Zico não ganhou a Copa do Mundo? Azar da Copa do Mundo.

Outro momento marcante, para mim, foi quando ele voltou para o Flamengo em 2010, eu realmente acreditei que o retorno dele poderia mudar a história do Mengão, poderia trazer o Mais Querido de volta no caminho correto, conquistar novamente o mundo. Mas infelizmente, um falso flamenguista conseguiu destruir esse sonho, com denúncias vazias, tirando o maior rubro-negro de todos os tempos da Gávea e decepcionando toda a Nação. Felizmente, a nova diretoria vem o tratando da maneira correta, dando o devido valor para quem tanto fez pelo clube.

Para mostrar o cara simples que Zico sempre foi, basta ver as declarações de quem conviveu com ele nos tempos de futebol e das personalidades da época:

Zico é o maior exemplo de fidelidade a um clube. É o maior símbolo do Flamengo (Junior)

Zico é o maior jogador do mundo. Há os que negam, cegos pelo óbvio olulante. Mas, se a evidência quer dizer alguma coisa, não cabe dúvida, nem sofisma. (Nelson Rodrigues)

Eu tive o privilégio de participar do mesmo time que o Zico participou…….. Tudo que se fala do Zico, toda homenagem que é prestada a ele é pouco pelo que ele merece. (Leandro)

Adeus, Zico. Nós vascaínos, tricolores, botafoguenses, etc., dormiremos mais tranquilos sabendo que uma falta cometida nas proximidades de nossa área não será tão perigosa assim. Que não teremos de enfrentar os seus dribles, seus lançamentos, suas soluções inteligentíssimas para as jogadas mais difíceis, a sua movimentação que o levava, em frações de segundo, da intermediária à porta do gol e aos gritos de Zico! Zico! Zico!quando você fazia uma das suas e chutava aquelas bolas que tocavam na rede e batiam em cheio em nossos corações. Em compensação, nós, que tanto amamos nossos clubes quanto o futebol, estaremos com as nossas terdes de domingo mais pobres. E, aí, veja que ironia, teremos saudades de você. (Sergio Cabral pai)

Meu maior orgulho é ter convivido com Zico (Jaime, ex zagueiro do Fla)

É o maior exemplo para gerações futuras (Zagalo)

Zico é mais completo do que eu fui……… Ah! se eu tivesse a firmeza do chute de Zico, nem sei o que teria feito no futebol (Dida)

Zico foi o maior jogador brasileiro que vi em ação. Pelé, Garrincha e Puskas foram “três monstros”, claro. Mas na época do Zico, ninguém foi melhor. (Lico, ex-jogador da Era Zico)

Zico foi o líder do melhor time que vi jogar. Ele é um mito e não haverá outro como ele. (Romário)

Há pouco tempo tive a oportunidade de conhecer Andrade e Rondinelli, jogadores marcantes da época de Zico no Flamengo e posso afirmar que eles tem um orgulho muito grande de terem feito parte dessa história e uma admiração grande por ele.

Para finalizar deixo a mais bela música composta sobre Zico, de Moraes Moreira.

Parabéns Zico e muito obrigado por tudo que você fez pelo meu Mengão.

P.S.: para finalizar deixo algumas recomendações sobre o que ler / assistir sobre Zico:

  • DVD Zico na Rede;
  • DVD Os Heróis de uma Nação;
  • Programa Loucos por Futebol especial exibido ontem na ESPN Brasil (devem ter reprises e pode aparecer no Youtube);
  • VHS Os mais belos gols de Zico (ou no Youtube mesmo);
  • Livro 1981 – O Ano Rubro-Negro de Eduardo Monsanto, pela editora Panda Books;
  • Livro Zico: Uma Lição de Vida de Marcus Vinicius Bucar Nunes, pela editora Thessaurus;
Anúncios

Onde estão os jogadores fidelenses?

Depois de ter escrito por aqui sobre os jogadores fidelenses, resolvi fazer uma atualização sobre a atual situação deles, mas infelizmente não consegui informações sobre todos, de qualquer forma vou citar todos os em atividade, explicando o que descobri. Se alguém tiver alguma novidade sobre eles, comente por favor.

Maycon Carvalho

Maycon

Maycon

Pelo que parece ele conseguiu subir da segunda divisão da Malásia com o Pahang FA, mas não teve o contrato renovado. Não encontrei nenhuma informação se ele foi para outro clube.

— UPDATE —

Maycon retornou ao Nova Iguaçu, conforme o seguinte post.

Hugo

Hugo, atacante do Ventforet Kofu

Hugo, atacante do Ventforet Kofu

Depois de passar pelo Paraná Clube, Hugo quase assinou com o CRB de Alagoas, mas recebeu uma proposta de última hora do futebol japonês e vai disputar a J-League pelo Ventforet Kofu, clube recém promovido à primeira divisão japonesa.

Fontes:

Marcos Paulo

Marcos Paulo Carvalho Inez

Marcos Paulo

Aparentemente ainda é jogador do Caxias, mas parece ter tido alguns problemas que podem levá-lo a sair do clube.

Fontes:

Weider Barreto (Tubarão)

Tubarão

Tubarão

Infelizmente não consegui nenhuma informação sobre o jogador.

Vagner Carioca

Vagner Carioca

Vagner Carioca

Esse ano assinou com o Quissamã para disputar o Carioca, mas ainda não atuou em nenhuma partida.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/rj/serra-lagos-norte/noticia/2013/01/quissama-apresenta-mais-reforcos-e-totaliza-sete-novos-jogadores.html

Jhonnattann

Jhonnattann

Jhonnattann

Depois de disputar o Campeonato Carioca 2012 pelo Volta Redonda e ter se destacado se transferiu para o futebol de Malta, mais especificamente para o Valleta. No Valleta chegou a disputar as eliminatórias da Liga dos Campeões, marcando 3 gols na primeira eliminatória contra o Lusitanos de Andorra. O time acabou eliminado para o Partizan Belgrado da Rússia.

Depois disso se transferiu para o Birkirkara FC também de Malta, onde até o momento (29/01/2013) marcou 8 gols em 21 partidas, além de ter sido considerado o melhor em campo em 6 jogos.

Fontes:

Ramon

Ramon dos Santos Pereira

Ramon dos Santos Pereira

Continua no Madureira, porém tem sido titular no começo do Carioca 2013, tendo jogado inclusive contra o Flamengo.

Fontes:

Por que ainda vendem para a Globo?

Unitri x Flamengo, 29/04/2012

Unitri x Flamengo, 29/04/2012

Hoje quero falar sobre um assunto importante para todos aqueles que gostam de esportes em geral: os direitos de transmissão dos eventos esportivos no Brasil, mais especificamente do Novo Basquete Brasil.

Leia Mais…

Jogador fidelense é considerado um dos melhores atacantes dos times pequenos do Carioca

Acabou de sair no GloboEsporte.com uma lista das melhores opções de contratações para os times grandes do RJ com jogadores dos times pequenos do Campeonato Carioca 2012. Entre eles encontra-se Jhonnatann, atacante que foi citado na minha lista de jogadores fidelenses aqui. É muito bom ver os fidelenses se dando bem.

Fonte: http://globoesporte.globo.com/rj/futebol/campeonato-carioca/noticia/2012/04/mercadinho-carioca-veja-um-time-de-opcoes-entre-os-pequenos-do-rio.html

A mentira sobre o suposto rebaixamento do Mengão no Carioca de 33

Sempre que alguém questiona os torcedores cariocas não-flamenguistas em relação aos seus rebaixamentos, aparece a história de um suposto rebaixamento do Flamengo em 1933. Quando isso acontece, costumo explicar a real história sobre o que ocorreu naquele ano, mostrando que essa história é absolutamente mentirosa.

Escudo do Flamengo

Em 1933, o futebol brasileiro passava por um processo de profissionalização bastante conturbado. Havia uma verdadeira cisão entre os clubes que queriam o profissionalismo e os que desejavam manter o amadorismo no esporte. No estado do Rio, em especial, América,  Bangu, Fluminense articulavam para adotar oficialmente (já que na prática alguns clubes assim o faziam) o profissionalismo, enquanto o Botafogo era terminantemente contra, contando com apoio do Flamengo e do São Cristóvão. Para adotar o profissionalismo, América, Bonsucesso, Bangu, Fluminense e Vasco fundaram uma nova liga, denominada Liga Carioca de Futebol. Durante o campeonato da A.M.E.A. (entidade que reunia os clubes amadores e que era considerada a liga oficial, já que era vinculada a CBD e à CBF`), Flamengo e São Cristóvão resolveram abandonar a disputa. O Flamengo entrou então no campeonato dos clubes profissionais, que até então só contava com 5 clubes. Neste campeonato de profissionais que, para deixar claro, só tinha 6 clubes (América, Bangu, Bonsucesso, Flamengo, Fluminense e Vasco) o Flamengo ficou em 6º lugar. Neste ano não havia segunda divisão, pois não existia mais nenhum clube profissional no estado do RJ. Logo o Flamengo nunca poderia ser rebaixado. Não houve nenhum tipo de virada de mesa para beneficiar o Flamengo, não havia segunda divisão.

Este caso é bem diferente do que ocorreu, por exemplo, com o Fluminense em 96 (quando ficou em penúltimo lugar, na zona de rebaixamento, e a CBF cancelou o rebaixamento) e em 99 (quando foi alçado direto da Série C para a primeira divisão com a criação da Copa João Havelange).

Ao contrário do que dizia Joseph Goebbels, uma mentira não se torna verdade por ser contada mil vezes.

Como gosto de dizer as coisas com base sobre o que estou falando, coloco abaixo a seção sobre o Carioca de 33 do livro “A história dos Campeonatos Cariocas de Futebol”, de Roberto Mércio.

A História dos Campeonatos Cariocas de Futebol, de Roberto Mércio

A História dos Campeonatos Cariocas de Futebol, de Roberto Mércio

28°. CAMPEONATO CARIOCA -1933

Cisão no futebol carioca e brasileiro. – Fundação da Liga Carioca de Futebol. -Duas entidades. -Dois campeões:  Botafogo e Bangu. -Nilo, do Botafogo, o artilheiro, na A.M.E.A., com 19 gols. -Tião, do Bangu, o goleador, na Liga Carioca, com 13 gols.

* * *

Em 1933 aconteceu o que já era esperado há muito tempo . O falso amadorismo estava no fim. O “amadorismo marrom” estava sendo praticado às escâncaras, com o chamado “bicho”, isto é, as gratificações por vitórias cada vez mais alto. Fluminense, América e Bangu se articularam no sentido de adotar, oficialmente, o profissionalismo, o que, no entender do Botafogo viria a prejudicá-lo, porque do seu time, formado em 32, muitos não aceitariam a profissionalização. Nessa situação se encontravam Victor, Paulinho, Nilo, Moura Costa, Pedrosa, Pamplona, e outros que, realmente, nunca se tornaram profissionais. Depois de várias reuniões, o Botafogo, que ainda contava com o apoio do Flamengo e do São Cristóvão, resolveu ficar na A.M.E .A., não concordando com a fundação de nova entidade para a adoção do profissionalismo. Depois, Flamengo e São Cristóvão resolveram voltar atrás de sua decisão, deixando o Botafogo sozinho na luta pelo amadorismo. Em consequência, houve 2 campeonatos em 1933. Um pela Liga Carioca, o chamado profissional; e outro pela A.M.E.A., dito amador, sendo que este era o oficial por ser esta entidade filiada a CBD -Confederação Brasileira de Desportos,portanto com vínculo internacional com a FIFA –Federação de Football Association. Na Liga Carioca, o Bangu, disputando com Fluminense, Vasco, Bonsucesso, América e Flamengo. A peleja decisiva entre Bangu e Fluminense foi realizada no dia 12 de novembro de 1933, no Estádio das Laranjeiras, tendo como árbitro Alderico Solon Ribeiro. O Bangu jogou desfalcado do zagueiro esquerdo Sá Pinto e do ponta direita Sobral; e o Fluminense sem o goleiro Veloso, todos contundidos. 1° Tempo, Bangu 2 a 0, gols de Ivan (contra) e Tião. No 2°, Plácido e Tião selaram a vitória do Bangu. O Bangu alinhou: Euclides; Mario e Camarão; Ferro, Santana e Médio; Paulista, Laudislau, Tião, Plácido e Orlandinho. O Fluminense com: Armandinho; Ernesto e Cabrera (Nariz, aos 21 do 2°); Marcial, Brant e Ivan; Álvaro, Vicentino (Russo), Russo (Cabrera), Tintas e Valter.

O Bangu, primeiro campeão carioca de profissionais, colheu este resultado no 1° turno: Fluminense, 2 a 0; Vasco 2 a 2; Bonsucesso 4 a 3; América 6 a 2; e Flamengo, 2 a 2. No returno: Fluminense, 4 a 0; Vasco, 0 a 3; Bonsucesso, 5 a 0; América, 7 a 3; e Flamengo, 3 a 1. Em 10 jogos, teve 7 vitórias, 2 empates e 1 derrota (Vasco, 3 a 0). O artilheiro deste campeonato da Liga Carioca foi o centro-avante Tião, do Bangu, com 13 gols em 10 jogos. A formação-base do Bangu era esta: Euclides; Mario e Sá Pinto (Camarão);  Ferro (Paiva), Santana e Médio; Sobral, Ladislau, Tião, Plácido e Orlandinho. Luiz Vinhais e Jayme Mathias Ricão dirigiram o time. O presidente do Bangu era o Sr. José Alberto Guimarães. A classificação final da Liga Carioca foi esta: 1.°) Bangu, 4 p.p. (campeão); 2.°) Fluminense, 8; 3.°) Vasco e Bonsucesso, 10; 5°) América, 13; 6°) Flamengo, 15. Observação: O Bonsucesso ganhou os pontos do returno com o Flamengo.

Na A.M.E.A. , o Botafogo sagrou-se bi-campeão, com aquele timaço, enfraquecido pela saída de alguns jogadores que resolveram se profissionalizar, já que os dirigentes do clube resolveram liberar aqueles que quizessem sair. O Botafogo teve esses resultados no 1.° turno. Andaraí, 1 a 0; Olaria, 1 a 3; Engenho de Dentro, 5 a 1; Confiança, 2 a 2; Portuguesa, 9 a 2; Mavílis, 4 a 1; Cocotá, 7 a 4; Brasil, 2 a 1; e River, 2 a 1. No returno: Andaraí, 3 a 2; Olaria, 1 a  1; Mavílis, 3 a 0; Cocotá, 1 a 1; Brasil, 2 a 1; e River, 3 a 2. Em 18 jogos, 12 vitórias, 4 empates e 2 derrotas (Olaria, 3 a 1 e Engenho de Dentro, 4 a 2). Marcou 50 gols e sofreu 27. O artilheiro desse campeonato da A.M.E.A. foi Nilo, do Botafogo, com 19 gols em 10 pelejas. A equipe-base do Botafogo foi esta: Victor; Rogério e Vicente; Afonso, Ariel e Pamplona; Cartolano, Nilo, Carvalho Leite, Jaime e Pirica. Também jogaram: Teté, Badu, Canali, Átila, Elói, Mourinha, Walter, Ludovico, Mosquera, Borges, Corisco, Dondon e Baiano. O presidente do Botafogo era o Sr. Paulo Azeredo. A colocação final da A.M.E.A. – Associação Metropolitana de Esportes Atléticos, por pontos perdidos, foi esta: 1.° – (campeão), Botafogo, 8; 2° – Andaraí, 14; 3.° – Olaria, 15; 4.° – Confiança, 17; 5.° – Portuguesa e Engenho de Dentro, 18; 7°. – Cocotá, 19; 8.° – Mavílis, 22; 9.° Brasil e River, 25. Flamengo, São Cristóvão e Carioca abandonaram o campeonato, depois de terem disputado alguns jogos, no início do certame. O Confiança ganhou os pontos do jogo com Brasil pelo 1° turno.

Deve-se ressaltar que a cisão atingiu todo o futebol brasileiro, tendo os clubes que queriam adotar o profissionalismo criado a Federação Brasileira de Futebol – FBF, que teve como 1.° Presidente o Sr. Sérgio Meira, do São Paulo F.C.; e como vice o Sr. Plínio Leite, do América F.C. do Rio. A CBF, contudo, continuava, no âmbito internacional, como a entidade oficial, vinculada à FIFA. O seu presidente era o Sr. Renato Pacheco que, pouco depois, renunciaria, tendo assumido o cargo o Sr. Luiz Aranha, figura que, juntamente com Carlito Rocha sustentou, até o fim,  a luta com as chamadas “Especializadas”, como eram denominadas as entidades profissionais. Neste lado, os nomes de maior destaque era os srs. Arnaldo Guinle e Oscar Costa, ambos do Fluminense e Antonio Gomes de Avelar, do América F.C.

— Atualização as 22:50 do dia 09/05/2012 —

Adiciono abaixo um trecho do comentário da leitora  Renata Timbó, que fez um levantamento bastante relevante sobre o histórico de acesso e rebaixamento no Campeonato Carioca.

Fiz um levantamento de 75 anos do campeonato carioca de 1906 ate 1981. Em todos esses anos em apenas 8 anos tiveram rebaixamentos em todos os 67 restantes não tiveram rebaixamento. O rebaixamento começou a ocorrer a partir de 1981 todos os anos. Nos 8 anos que tiveram rebaixamento notadamente foram meramente um teste pois não tinha uma sequencia ao longo dos anos e o rebaixamento apenas a partir de 1981 passou a ser todo ano. Como eu posso ter sido rebaixada se não existia rebaixamento??? Outro detalhe: olhem para o ano de 1921(fluminense ultimo lugar) e olhem pra 1923(botafogo em ultimo lugar). Observem ainda de 1941-1944(Bonsucesso ultimo lugar seguidamente, se existisse rebaixamento ele não estaria ali) e tem outros exemplos de times que ficaram em ultimo 2x em anos seguidos.

Sem contar que os campeões da segunda divisão não subiam pra primeira. Fica claro que não existia rebaixamento naquela época e se tivesse existido o fluminense e botafogo teriam sido rebaixados muitos anos antes.

ULTIMO LUGAR NO CAMPEONATO CARIOCA:
1906: Football & Athletic 1907: Internacional 1908: Riachuelo1909: mangueira , 1911: Paysandu, 1912: Internacional , 1912: Mangueira, 1916: São cristovão , 1917: Vila isabel 1918: Mangueira, 1921: FLUMINENSE, 1922: São Critovao, 1923: botafogo, 1924: SC Brasil, 1924: Progresso, 1925: SC Brasil, 1926: SC brasil, 1927: Vila isabel, 1929: SC Brasil, 1930: SC Brasil, 1931: Carioca, 1932: SC brasil, 1933: flamengo, 1934: Bonsucesso, 1935: portuguesa, 1936: Jequiá, 1937: Andarahy 1938: Madureira, 1939: Bonsucesso, 1940: Bangu, 1941: Bonsucesso, 1942: Bonsucesso, 1943: Bonsucesso, 1944: Bonsucesso, 1945: 1945: Madureira, 1946: Bonsucesso, 1947: Bonsucesso, 1948: Madureira, 1949: Canto do Rio, 1950 :São Cristovão 1951: Canto do rio, 1952: Bonsucesso, 1953: Canto do rio, 1954: Canto do rio, 1955: Madureira, 1956: Portuguesa 1957 : Olaria , 1958: Olaria, 1959: Portuguesa, 1960: São cristovao, 1961: Madureira, 1962:Canto do rio 1963: Madureira, 1965: Portuguesa, 1966: Madureira, 1967: São Cristovão, 1968 :São Cristovão, 1969: Madureira, 1970: Portuguesa 1971: São cristovão, 1972: Madureira, 1973:São Cristovão 1974: Bangu, 1975: Campo grande, 1976: Bangu, 1977:Campo Grande, 1978:Campo Grande , 1979: AD niteroi,
ULTIMO LUGAR NO CAMPEONATO CARIOCA QUE FOI REBAIXADO:
1910: Haddock Lobo1913: Mangueira/Bangu /Americano , 1914: Paysandu 1915: Rio Cricket 1919: Carioca , 1920: Vila isabel/ Palmeiras / Mangueira. 1928: Vila isabel, 1964: Campo grande / São cristovao / olaria Madureira/ Canto do rio, 1980: Goytacaz , olaria, Bonsucesso, ad niteroi
link para consulta:
http://www.campeonatocarioca.kit.net/primeira_divisao/temporadas_anteriores/1921.htm

Fontes:

Mais jogadores fidelenses

Bom dia,

A última postagem sobre jogadores de futebol fidelense começa a render frutos. Um leitor do blog me enviou uma lista extensa com jogadores de futebol que nasceram em São Fidélis e eu vou reproduzir por aqui. Gostaria de agradecer ao Francisco Gomes por ter me enviado esta lista. Fico muito agradecido com o apoio. Se alguém conhecer mais alguém pode me enviar para eu colocar por aqui.

Vamos a lista Leia Mais…

Fidelenses pelo mundo: Jogadores de futebol

Hoje estou começando uma nova série de postagens aqui no blog: Fidelenses pelo mundo.

A idéia é lembrar de alguns fidelenses que se descataram de alguma forma, levando o nome de nossa cidade por aí. Conto também com a colaboração dos leitores para lembrarem nomes que podem ser citados nesta série

Para começar, vou lembrar de alguns jogadores de futebol nascidos em São Fidélis que tiveram algum destaque. Clique em mais para continuar a ler este post. Leia Mais…

%d blogueiros gostam disto: